top of page

Pokhara

A charmosa cidade na beira do lago

vicunha deserto montanha

Eu visitei Pokhara logo depois de ter terminado a trilha do Everest Base Camp (EBC), que durou 16 dias, então eu estava num clima de descansar e curtir o clima da cidade. Fui com o roteiro aberto, mas acabei ficando 10 dias por lá. Eu amei o clima pacato, as montanhas, bons restaurantes e praticar yoga.


Pokhara é famosa pois é a porta de entrada para as principais trilhas do Nepal (com excessão do EBC), como o Annapurna Circuit, Manaslu Trek, e muitas outras. Tem trilhas de diversas durações e dificuldades, mas como eu estava querendo relaxar não fiz nenhuma delas (tá aí um bom motivo pra voltar).


Estive por lá em dezembro de 2019 e dei muita sorte com o clima, muitos dias de sol. De manhã e à noite fazia bastante frio, e durante a tarde o clima estava ameno e agradável. A cidade também não estava muito cheia, pois dezembro é o finalzinho da temporada de trekking na região.

TURISMO

Se a ideia for só visitar os pontos turísticos, 2 dias são suficientes para conhecer Pokhara.

- Phewa lake: Principal lago da cidade. O centrinho turístico e vários restaurantes ficam à beira dele.


- Shanti Stoupa (World Peace Pagoda): Estupa construída no alto de uma colina para simbolizar a paz. A vista de lá é linda e é legal de visitar no por do sol. Nós fomos até lá de scooter (que alugamos no centrinho), mas é possível ir de táxi, ou a pé também.



- Sarangkot: Montanha perto da cidade que se sobe para ver o nascer do sol. É muito lindo! Dá para subir e descer de táxi ou caminhando (é uma caminhada longa).

mercado

- Pame: Caminhando pela beira do lago na direção oposta ao centro, você chega em Pame, um pequeno vilarejo ainda mais pacato que Pokhara, com alguns restaurantes.

praça

- Matepani Gumba: Monastério budista um pouco mais afastado do centro (fomos de scooter). Quando fomos o único dia de visitação eram aos sábados, vale conferir.

Fora isso, ficamos apenas passeando pelo centrinho, que tem várias lojinhas e restaurantes, vimos um jogo de futebol no estádio da cidade, praticamos yoga e relaxamos.

parque

YOGA E CINEMINHA EM POKHARA

Existem várias opções de lugares ao longo da rua principal com aulas no esquema "Drop in", que é basicamente chegar e fazer aula. A que eu me apaixonei (e tinha um dos melhores preços) foi essa:

- Lotus Corner Café: Achei o professor ótimo e a aula era quase na beira do lago, muito gostoso.

Outro programa bem gostoso que fizemos por lá foi ver filmes, num esquema de quase cineminha. Muito legal. Fomos em 2 lugares:

- Movie Garden: O lugar é um charme... tem uma espécie de anfiteatro e uma tela super boa, onde eles passam filmes por Blue Ray. Eles servem pizzas e drinks também, além de pipoca. O ingresso é pago e, se não me engano, custava 300 rúpias. A programação dos filmes fica disponível num cavalete na rua principal ou no Instagram deles.


- The Blind Tiger: A qualidade no filme não é tão boa quanto do outro, mas a vantagem é que esse é de graça. Eles servem umas comidinhas também e bebidas, que é legal consumir, já que o filme é grátis ;)

A programação fica em frente ao bar, na rua principal.

ONDE COMER

- Juicery Cafe: Lugar mais fofo e delicioso de Pokhara. Os pratos são no estilo brunch, super bem servidos e os sucos são deliciosos também. Mais carinho, comparado com os restaurantes locais que eu vou indicar, mas vale muito a pena. Dica: Qualquer coisa é boa, mas o ovo pochê com cogumelos estava especial. O Shakshuka e o bowl de açaí também estavam ótimos (claro que não era um açaí igual ao nosso, mas foi bom pra matar as saudades).


- Gorkha: Restaurante simples de comida nepalesa e indiana, super barato e gostoso. Dica: Panneer Butter Massala.


- Unique: Restaurante simples também de comida local, simples, barato e gostoso. Pedimos um Malai Kofta, bem honesto.


- Shiva Sagar: Restaurante simples de comida nepalesa e indiana, super barato e muito gostoso. Atendimento muito bom também. Dica: Veggie burger ou Panneer Butter Massala

- Krazy Gecko: Restaurante super charmoso na beira do lago, com mesinhas de madeira e colchões no chão. Comida super boa também. Dica: Veggie burger, a massa, o hummus e a house fries.


- Lake Lovers Cafe: Veggie burger delicioso, preço super bom também.


- Green Peace Cafe: Dica: Fried Panneer com legumes e purê e o Veggie burger (nota-se que eu estava na vibe do Veggie burger haha).


- OR2K: Restaurante israelense, mais carinho também, muito gostoso. Fui no de Kathmandu duas vezes, em Pokhara preferi provar os restaurantes mais locais, mas se estiver buscando algo mais internacional, super recomendo.


- Roadhouse Café: Restaurante mais carinho e arrumadinho, muito bom. Também só fui no de Kathmandu mas tinha achado muito bom.


- Fresh Elements: Restaurante natural super recomendado que acabei não provando.



ONDE FICAR

Eu fiquei num hostel mais afastado do centro, o Zostel. O clima era uma delícia e super de paz e o lugar é lindo (vide a foto abaixo), mas talvez gostaria de ter ficado um pouquinho mais pro centro e não achei o atendimento muito bom. A internet também não funcionava muito bem. De todo modo, o quarto privado era bem bom e as áreas comuns também, com sinuca e uma área boa pra trabalhar ou relaxar.


Depois que eu fui embora meu amigo mudou para o Forest Lake Backpackers e recomendou muito. Ele ainda é num canto mais tranquilo da cidade (bem em frente ao Lotus Corner, do yoga), mas mais perto de tudo que o Zostel e pareceu ser muito bom mesmo, com ótimo preço.


Outro lugar que eu vi e achei uma graça (mas não conheço ninguém que tenha se hospedado para garantir que é bom) foi o The Canvas Cottage. São cabaninhas na beira do lago, com redes na varanda, pareceu uma delícia.

 
 

Comments


Faça parte da nossa lista de emails

Nunca perca uma atualização

bottom of page