CHAPADA Diamantina
O que consegui conhecer durante meu Réveillon na Chapada

O Parque Nacional da Chapada Diamantina é enorme e com certeza merece ser visitado com calma ou mais de uma vez.

Como eu decidi ir de última hora e durante o réveillon, vou ficar com a segunda opção e pretendo voltar nesse lugar tão maravilhoso.

 

A melhor maneira de se locomover por lá é alugar um carro, dessa forma você não precisa depender de agências de viagem. 

É preciso alugar em Salvador. Em Lençóis é possível alugar também, mas a diária é bem mais cara e na alta temporada é difícil conseguir um carro.

 

Como não vi nem metade do que a Chapada tem para oferecer, vou dividir esse post em 2 partes.

Primeiro vou falar das cidades onde onde me hospedei e depois vou contar o que consegui visitar.

A primeira coisa que você precisa definir é onde vai se hospedar. Recomendo dormir em mais de uma cidade, para conseguir visitar mais facilmente algumas atrações principais da chapada.

 

ONDE FICAR

1. Lençóis

A cidade é uma graça! Toda de paralelepípedos e casinhas históricas, é onde tem mais estrutura (hotéis, restaurantes, internet, etc) e, consequentemente, onde fica mais cheio. Vale ficar atento que em Lençóis só tem Banco do Brasil e Bradesco (não tem 24 horas).

As principais atrações próximas à cidade são: as Grutas da Pratinha e Torrinha, a Cachoeira do Mosquito, Cachoeira do Segredo, Poço do Diabo e Rio Mucugêzinho e Morro do Pai Inácio.

Também é possível visitar os Poços Azul e Encantado, mas esses estão mais próximos de Mucugê.

Lençóis tem diversas opções de pousadas, como não curti muito onde fiquei nem vou recomendar aqui. Na alta temporada vale reservar com antecedência, a maioria delas está no Booking.

Para comer recomendo o Cozinha Aberta e o quilo do O Bode. Saindo do clima local, adoramos o mexicano Burritos y Taquitos Santa Fé.

Para chegar em Lençóis sem estar de carro, existem vôos da Azul às quintas e domingos partindo de BH e Salvador. Outra opção é pegar um ônibus em Salvador. A Real Expresso faz o trajeto em 7 horas (há ônibus noturno nas duas direções).

2. Vale do Capão

 

É o lugar com acesso mais difícil e também o mais calmo. Não tem sinal de telefone e internet só por Wi-Fi. O capão tem poucas ruas e vários pequenos restaurantes super charmosos, que geralmente ficam na casa de seus donos. Apesar de pequeno, tem muitas opções de comidas gostosas e vegetarianas. Também tem 2 mercados onde você acha de tudo e diversas agências de turismo. Só cuidado pois não há banco no Capão. O mais próximo é uma agência do Bradesco em Palmeiras.

O capão é base para quem pretende fazer a travessia do Vale do Pati. Além disso é a partir daqui que se visita a famosa Cachoeira da Fumaça por cima, as cachoeiras do Riachinho, Purificação e Angélica, Das Rodas e Rio Negro, Águas claras, Conceição dos Gatos e outras. Também é possível visitar a Gruta da Pratinha, o Poço do Diabo e Rio Mucugêzinho e o Pai Inácio a partir daqui, mas essas são mais próximos de Lençóis.

Pra comer o mais clássico é a Pizzaria Capão Grande (eles só tem um sabor de pizza salgada e um sabor doce, e pode confiar que é deliciosa). O Raio da Lua é um italiano que serve massas super boas. A Toca do Açaí é uma boa opção pra café da manhã e lanche (adorei o hambúrguer de falafel). No centrinho, a Dona Beli serve o melhor PF da vila e pra fechar a lista, vale provar o pastel (ou qualquer outra comida) de palmito de jaca, especiaria típica do Capão.

Para chegar no Capão sem carro é preciso pegar um ônibus até Palmeiras pela Real Expresso. Lá tem vans que te levam até o Vale do Capão, coordenado com a chegada dos ônibus. Você também pode ver se é possível contratar transfer pela sua pousada.

3. Mucugê

 

Cidadezinha histórica super charmosa, mas bem menor que Lençóis. Super vale uma visita pelo seu charme e principalmente pelas cachoeiras próximas: Buracão, Fumacinha e os Poços Encanto e Azul. Outra atração da cidade é o Cemitério Bizantino.

 

Nos hospedamos numa pousada super charmosa mas um pouco mais distante do centrinho, Pousada Monte Azul. O café da manhã era delicioso e a diária super justa. 

Para chegar em Mucugê sem carro basta pegar um ônibus direto de Salvador pela Águia Branca, são 8 horas de viagem.

Lá tem agência do Banco do Brasil.

TURISMO

- Cachoeira do Buracão: Essa foi, sem dúvidas, uma das cachoeiras que mais me encantou na Chapada e na vida. Ela fica dentro de um cânion surreal e a sensação de chegar nadando pelo cânion até a queda d'água é realmente maravilhosa. Para chegar lá é preciso contratar um guia (isso pode ser feito em Mucugê ou Ibicoara) mas a trilha é super agradável e relativamente fácil (cerca de 1 hora). - Estávamos em grupo e o guia saiu cerca de 35 reais por pessoa.

Bases: Mucugê (principal) & Igatu

- Cachoeira da Fumacinha: Também na lista das preferidas da vida, está a Fumacinha. Mas para chegar até ela é preciso se esforçar mais. São quase 20Km de trilha (ida e volta) e, por isso, algumas pessoas optam por fazer em 2 dias (é possível acampar na trilha). Nós não tínhamos esse tempo e fizemos em 1 dia. É bem cansativo, não vou negar, mas vale cada gota de suor. A trilha começa plana, depois começam alguns "sobe e desce" pela mata e aí chega-se ao leito do rio onde você passa uns 4km (8km ida e volta) pulando pedra. No final se chega num cânion maravilhoso e no final dele está a Cachoeira da Fumacinha, enorme e maravilhosa. Para essa trilha também é necessário guia (fechamos com o mesmo do Buracão) e é bom começar o mais cedo possível, para não pegar a trilha a noite.

Bases: Mucugê (principal) & Igatu

- Morro do Pai Inácio: Uma das principais atrações da Chapada. A vista do alto do morro é incrível e o programa é imperdível. A subida é íngrime mas não demora muito para alcançar o topo. Ideal para ver o por do sol. Uma dica é combinar o Pai Inácio com outras atrações, como Poço do Diabo ou as grutas da Pratinha e Lapa Doce.

Bases: Lençóis (principal) & Vale do Capão

- Poço do Diabo e Rio Mucugêzinho: Ao descer umas escadas, primeiro se chega no Rio Mucugêzinho, onde tem uma estrutura com bar e até churrasqueira (e consequentemente fica bem mais cheio). Se você continuar descendo pelo leito do rio e seguindo uma trilha fácil, em cerca de 20 minutos você chega no Poço do Diabo, poço enorme, ótimo para banho e bem bonito.

Bases: Lençóis (principal) & Vale do Capão

- Poço Encantado: Outra das principais atrações da Chapada e não é atoa. O Poço Encantado é lindo e suas cores parecem mágica. A dica aqui é chegar antes de 11h por conta da luz. Além disso é comum encontrar fila para entrar na alta temporada e feriados. A entrada custa 15 reais. A dica é combinar com o Poço Azul, que fica a 25 Km de distância (nós não tivemos tempo de ir no segundo, infelizmente). 

Bases: Igatu (principal), MucugêLençóis (um pouco longe)

- Riachinho: Cachoeira super bonita e de acesso muito fácil. É apenas uma pequena escada (cerca de 5 minutos) muito bem conservada. Uma boa pedida é combinar o riachinho com a Fumaça por cima.

Base: Vale do Capão 

- Cachoeira das Rodas: Bonita e de acesso super fácil, é possível ir a pé a partir do centro do Capão. Do início da trilha até ela são mais ou menos 15 minutos de caminhada leve. Quem quiser continuar é possível ir até o Rio Negro, são mais 40 minutos de descida, com uma subida íngrime na volta.

Base: Vale do Capão 

- Cachoeira do Mosquito: Ela fica no meio de um paredão de pedras super bonito. Quando fomos (em janeiro) não estava com muita água, mas foi um passeio bem agradável, pois a trilha é tranquila (uma meia hora de descida - íngrime) e na volta comemos no restaurante a quilo que tem na fazenda onde ela fica e super vale a pena.

Base: Vale do Capão 

O QUE SENTI FALTA DE VER

- Cachoeira das Rodas: Bonita e de acesso super fácil, é possível ir a pé a partir do centro do Capão. Do início da trilha até ela são mais ou menos 15 minutos de caminhada leve. Quem quiser continuar é possível ir até o Rio Negro, são mais 40 minutos de descida, com uma subida íngrime na volta.

Base: Vale do Capão 

- Vale do Pati: Travessia que pode ser feita a partir de 3 dias pelo vale. Não tive tempo de ir, mas alguns amigos fizeram a travessia de 5 dias e as fotos são incríveis.

Base: Vale do Capão 

- Fumaça Por Cima: A cachoeira estava completamente seca e disseram que não valia a pena a subida sem água. São 2h de trilha com uma subida íngrime no início.

Base: Vale do Capão 

- Travessia Águas Claras - Conceição dos Gatos: Não tive tempo, leva o dia todo e são 20km. Mas parece que a vista compensa. A primeira metade é muito leve e super plana e na trilha você tem vistas incríveis do Morrão, um dos cartões postais da chapada.

Base: Vale do Capão

 

- Purificação e Angélica: Estavam muito cheias na época do Réveillon.

Base: Vale do Capão

 

- Poço Azul: Não tivemos tempo.

Base: Lençóis

- Gruta da Pratinha: Disseram que estava absurdamente cheia no período que fomos.

Base: Lençóis

LINKS RELACIONADOS

GALERIA CHAPADA DIAMANTINA

Sinta o gostinho dessa viagem através das fotos que fizemos.

CHAPADA DOS VEADEIROS - GO

Feriado prolongado na Chapada dos Veadeiros

MORERÉ -BA

Conheça um pedaço do paraíso que ainda não foi tomado por tanto turismo.

Please reload

Por Julia Zettel

  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Facebook Icon
Nas Redes
Seu Vídeo
organize sua viagem

© 2023 por YOLO.

Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Facebook Icon