© 2023 por YOLO.

Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Facebook Icon

O Parque Nacional da Chapada Diamantina é enorme e com certeza merece ser visitado com calma ou mais de uma vez.

Como eu decidi ir de última hora e durante o réveillon, vou ficar com a segunda opção e pretendo voltar nesse lugar tão maravilhoso.

 

A melhor maneira de se locomover por lá é alugar um carro, dessa forma você não precisa depender de agências de viagem. 

É preciso alugar em Salvador. Em Lençóis é possível alugar também, mas a diária é bem mais cara e na alta temporada é difícil conseguir um carro.

 

Como não vi nem metade do que a Chapada tem para oferecer, vou dividir esse post em 2 partes.

Primeiro vou falar das cidades onde onde me hospedei e depois vou contar o que consegui visitar.

A primeira coisa que você precisa definir é onde vai se hospedar. Recomendo dormir em mais de uma cidade, para conseguir visitar mais facilmente algumas atrações principais da chapada.

 

ONDE FICAR

1. Lençóis

A cidade é uma graça! Toda de paralelepípedos e casinhas históricas, é onde tem mais estrutura (hotéis, restaurantes, internet, etc) e, consequentemente, onde fica mais cheio. Vale ficar atento que em Lençóis só tem Banco do Brasil e Bradesco (não tem 24 horas).

As principais atrações próximas à cidade são: as Grutas da Pratinha e Torrinha, a Cachoeira do Mosquito, Cachoeira do Segredo, Poço do Diabo e Rio Mucugêzinho e Morro do Pai Inácio.

Também é possível visitar os Poços Azul e Encantado, mas esses estão mais próximos de Mucugê.

Lençóis tem diversas opções de pousadas, como não curti muito onde fiquei nem vou recomendar aqui. Na alta temporada vale reservar com antecedência, a maioria delas está no Booking.

Para comer recomendo o Cozinha Aberta e o quilo do O Bode. Saindo do clima local, adoramos o mexicano Burritos y Taquitos Santa Fé.

Para chegar em Lençóis sem estar de carro, existem vôos da Azul às quintas e domingos partindo de BH e Salvador. Outra opção é pegar um ônibus em Salvador. A Real Expresso faz o trajeto em 7 horas (há ônibus noturno nas duas direções).

2. Vale do Capão

 

É o lugar com acesso mais difícil e também o mais calmo. Não tem sinal de telefone e internet só por Wi-Fi. O capão tem poucas ruas e vários pequenos restaurantes super charmosos, que geralmente ficam na casa de seus donos. Apesar de pequeno, tem muitas opções de comidas gostosas e vegetarianas. Também tem 2 mercados onde você acha de tudo e diversas agências de turismo. Só cuidado pois não há banco no Capão. O mais próximo é uma agência do Bradesco em Palmeiras.

O capão é base para quem pretende fazer a travessia do Vale do Pati. Além disso é a partir daqui que se visita a famosa Cachoeira da Fumaça por cima, as cachoeiras do Riachinho, Purificação e Angélica, Das Rodas e Rio Negro, Águas claras, Conceição dos Gatos e outras. Também é possível visitar a Gruta da Pratinha, o Poço do Diabo e Rio Mucugêzinho e o Pai Inácio a partir daqui, mas essas são mais próximos de Lençóis.

Pra comer o mais clássico é a Pizzaria Capão Grande (eles só tem um sabor de pizza salgada e um sabor doce, e pode confiar que é deliciosa). O Raio da Lua é um italiano que serve massas super boas. A Toca do Açaí é uma boa opção pra café da manhã e lanche (adorei o hambúrguer de falafel). No centrinho, a Dona Beli serve o melhor PF da vila e pra fechar a lista, vale provar o pastel (ou qualquer outra comida) de palmito de jaca, especiaria típica do Capão.

Para chegar no Capão sem carro é preciso pegar um ônibus até Palmeiras pela Real Expresso. Lá tem vans que te levam até o Vale do Capão, coordenado com a chegada dos ônibus. Você também pode ver se é possível contratar transfer pela sua pousada.

CHAPADA Diamantina
O que consegui conhecer durante meu Réveillon na Chapada

GALERIA CHAPADA DIAMANTINA

Sinta o gostinho dessa viagem através das fotos que fizemos.

CHAPADA DOS VEADEIROS - GO

Feriado prolongado na Chapada dos Veadeiros

MORERÉ -BA

Conheça um pedaço do paraíso que ainda não foi tomado por tanto turismo.

Please reload

LINKS RELACIONADOS
3. Mucugê

 

Cidadezinha histórica super charmosa, mas bem menor que Lençóis. Super vale uma visita pelo seu charme e principalmente pelas cachoeiras próximas: Buracão, Fumacinha e os Poços Encanto e Azul. Outra atração da cidade é o Cemitério Bizantino.

 

Nos hospedamos numa pousada super charmosa mas um pouco mais distante do centrinho, Pousada Monte Azul. O café da manhã era delicioso e a diária super justa. 

Para chegar em Mucugê sem carro basta pegar um ônibus direto de Salvador pela Águia Branca, são 8 horas de viagem.

Lá tem agência do Banco do Brasil.

TURISMO

- Cachoeira do Buracão: Essa foi, sem dúvidas, uma das cachoeiras que mais me encantou na Chapada e na vida. Ela fica dentro de um cânion surreal e a sensação de chegar nadando pelo cânion até a queda d'água é realmente maravilhosa. Para chegar lá é preciso contratar um guia (isso pode ser feito em Mucugê ou Ibicoara) mas a trilha é super agradável e relativamente fácil (cerca de 1 hora). - Estávamos em grupo e o guia saiu cerca de 35 reais por pessoa.

Bases: Mucugê (principal) & Igatu

- Cachoeira da Fumacinha: Também na lista das preferidas da vida, está a Fumacinha. Mas para chegar até ela é preciso se esforçar mais. São quase 20Km de trilha (ida e volta) e, por isso, algumas pessoas optam por fazer em 2 dias (é possível acampar na trilha). Nós não tínhamos esse tempo e fizemos em 1 dia. É bem cansativo, não vou negar, mas vale cada gota de suor. A trilha começa plana, depois começam alguns "sobe e desce" pela mata e aí chega-se ao leito do rio onde você passa uns 4km (8km ida e volta) pulando pedra. No final se chega num cânion maravilhoso e no final dele está a Cachoeira da Fumacinha, enorme e maravilhosa. Para essa trilha também é necessário guia (fechamos com o mesmo do Buracão) e é bom começar o mais cedo possível, para não pegar a trilha a noite.

Bases: Mucugê (principal) & Igatu

- Morro do Pai Inácio: Uma das principais atrações da Chapada. A vista do alto do morro é incrível e o programa é imperdível. A subida é íngrime mas não demora muito para alcançar o topo. Ideal para ver o por do sol. Uma dica é combinar o Pai Inácio com outras atrações, como Poço do Diabo ou as grutas da Pratinha e Lapa Doce.

Bases: Lençóis (principal) & Vale do Capão

- Poço do Diabo e Rio Mucugêzinho: Ao descer umas escadas, primeiro se chega no Rio Mucugêzinho, onde tem uma estrutura com bar e até churrasqueira (e consequentemente fica bem mais cheio). Se você continuar descendo pelo leito do rio e seguindo uma trilha fácil, em cerca de 20 minutos você chega no Poço do Diabo, poço enorme, ótimo para banho e bem bonito.

Bases: Lençóis (principal) & Vale do Capão

- Poço Encantado: Outra das principais atrações da Chapada e não é atoa. O Poço Encantado é lindo e suas cores parecem mágica. A dica aqui é chegar antes de 11h por conta da luz. Além disso é comum encontrar fila para entrar na alta temporada e feriados. A entrada custa 15 reais. A dica é combinar com o Poço Azul, que fica a 25 Km de distância (nós não tivemos tempo de ir no segundo, infelizmente). 

Bases: Igatu (principal), MucugêLençóis (um pouco longe)

- Riachinho: Cachoeira super bonita e de acesso muito fácil. É apenas uma pequena escada (cerca de 5 minutos) muito bem conservada. Uma boa pedida é combinar o riachinho com a Fumaça por cima.

Base: Vale do Capão 

- Cachoeira das Rodas: Bonita e de acesso super fácil, é possível ir a pé a partir do centro do Capão. Do início da trilha até ela são mais ou menos 15 minutos de caminhada leve. Quem quiser continuar é possível ir até o Rio Negro, são mais 40 minutos de descida, com uma subida íngrime na volta.

Base: Vale do Capão 

O QUE SENTI FALTA DE VER

- Cachoeira das Rodas: Bonita e de acesso super fácil, é possível ir a pé a partir do centro do Capão. Do início da trilha até ela são mais ou menos 15 minutos de caminhada leve. Quem quiser continuar é possível ir até o Rio Negro, são mais 40 minutos de descida, com uma subida íngrime na volta.

Base: Vale do Capão 

- Vale do Pati: Travessia que pode ser feita a partir de 3 dias pelo vale. Não tive tempo de ir, mas alguns amigos fizeram a travessia de 5 dias e as fotos são incríveis.

Base: Vale do Capão 

- Fumaça Por Cima: A cachoeira estava completamente seca e disseram que não valia a pena a subida sem água. São 2h de trilha com uma subida íngrime no início.

Base: Vale do Capão 

- Travessia Águas Claras - Conceição dos Gatos: Não tive tempo, leva o dia todo e são 20km. Mas parece que a vista compensa. A primeira metade é muito leve e super plana e na trilha você tem vistas incríveis do Morrão, um dos cartões postais da chapada.

Base: Vale do Capão

 

- Purificação e Angélica: Estavam muito cheias na época do Réveillon.

Base: Vale do Capão

 

- Poço Azul: Não tivemos tempo.

Base: Lençóis

- Gruta da Pratinha: Disseram que estava absurdamente cheia no período que fomos.

Base: Lençóis

- Cachoeira do Mosquito: Ela fica no meio de um paredão de pedras super bonito. Quando fomos (em janeiro) não estava com muita água, mas foi um passeio bem agradável, pois a trilha é tranquila (uma meia hora de descida - íngrime) e na volta comemos no restaurante a quilo que tem na fazenda onde ela fica e super vale a pena.

Base: Vale do Capão 

Por Julia Zettel

  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Facebook Icon
Nas Redes
Seu Vídeo
organize sua viagem